sexta-feira, 13 de setembro de 2019

Vogue Fashion’s Night Out Goiânia 2019 reúne influencers

Nessa quinta-feira (12/09/2019), influenciadores digitais, jornalistas e personalidades da capital marcaram presença no lançamento do Vogue Fashion’s Night Out Goiânia 2019. Inspirada na arte urbana e na liberdade, a noite movimentou o Flamboyant Shopping Center.


Em sua sexta edição na cidade, o VFNO trouxe ao público uma experiência completa ao lado de Juju Norremose, Carlos Ferreirinha, Layla Monteiro, Luisa Accorsi, Virginia Gutierre, Baby Bordoni, Rita Lazzarotti, Fernando Torquatto, Goia Sampaio, Sophia Abrahão e o time da revista Vogue.

@sophiaabrahao

@jujunorremose
Fizeram parte da programação desfiles, bate-papos, workshops e ações especiais oferecidas por diversas marcas, como tatuagens, caricaturas, customização, drinques e muita música. Enquanto aguardavam os desfiles e talk-shows, os convidados fotografavam ao lado de posters que compuseram o ambientes.  E um show animado foi conduzida pela cantora Carina Duarte. 

@carinaduarteofficial
Aperitivos gourmet e drinques, a exemplo de mojito e gim-tônica, tornaram o momento ainda mais especial.


Confira os cliques:

@reberthfiorezzo

@vfnobrasil

@vfnobrasil

@vfnobrasil

@artthur.teodoro / @daigontijo

@jmulser / @blogassis

@laylamonteiro - @romeobonadio - @sophiaabrahao / @yullarozendo

@blogrofolfolucass / @passosvale

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

VFNO 2019 em Goiânia: programação

Amanhã a Vogue vai dar o start oficial do Vogue Fashion Night Out 2019 e a primeira parada é em Goiânia. O VFNO Flamboyant terá início às 10h, com um bate-papo na Cúpula, piso 1. Chame seus amigos e apareça lá para aproveitar! Anote as atividades que você quer aproveitar, confira tudo e programe-se.


Neste ano o evento acontecerá em Goiânia (12.09), Brasília (26.09) e Maringá (08.10). 

segunda-feira, 9 de setembro de 2019

Looks monocromáticos masculino para entender e inspirar

Mono: vem do grego “mónos”e exprime a noção de um, um só, unidade. Sinônimo de “uni”, outro prefixo que vem do latim. Cromático: relativo às cores. Que decompõe e dispersa as cores. Que procede por meio de semitons. Uma cor só! É isso que significa monocromático. Cor não é o mesmo que tom. Uma única cor pode ter variação de tonalidade com harmonia obtida através da adição gradativa de branco ou preto. Este é o conceito. Portanto, monocromia também é tom sobre tom. Então quer dizer que se eu usar uma calça azul com um tom claro (adição de branco) com uma camiseta azul escura (adição de preto) eu tenho um look monocromático? Sim! Mas no contexto da moda é um pouco diferente.

Monocromático é uma cor só e ainda é versátil. No contexto da moda o monocromático ficou marcado como uma cor e no máximo uma variação pequena de tom, o que podemos chamar de monocromático de baixo contraste. Mas e o médio e alto contraste? Nestes casos, poucos arriscam afirmar por conta da grande quantidade de preto ou de branco que contrastam demais. Ai que surge o tom sobre tom.

Se pegarmos uma única paleta conseguimos visualizar diversos tons de uma única cor e entender. Veja:


As roupas monocromáticas então podem ter uma variação muito grande de combinação de tons além de um único, isso sem falar na quantidade de cores existentes além da adição de algumas peças de roupas neutras. Isso não vai desmontar sua produção monocromática.

Monocromático é versátil, é ousado.

Monocromático não é básico
Versátil, ousado e mesmo com peças tradicionais como calça e camiseta ele foge do básico. Foge pois demonstra personalidade e conhecimento de cor. Até mesmo um conjunto não é básico. Ele foi criado por um designer que sabia o que estava fazendo.

A harmonia dos tons se dá de forma natural. Fomos criados para perceber sensivelmente a claridade e obscuridade do ambiente, a percepção de luz. Assim que enxergamos.


O que remete?
Usar roupas monocromáticas remete a elegância. A sensação que dá é que você está com uma peça só ou um conjunto, mas por mais que o efeito visual seja satisfatório para alguns por conta da harmonia, para outros pode parecer estranho por ser monótono. O interessante do monocromático é que ele não vai te dar um misto de sensações. Uma única cor, de acordo com a psicologia das cores, vai te trazer as sensações daquela cor.

Looks para inspirar
Se você é da galera que curte monocromático, ótimo! Se você acha que está dentro do seu estilo mas ainda não está convencido de que o monocromático é uma ótima pedida por conta da monotonia, tente ousar com o tom sobre tom. Já expliquei um pouco no post “Como combinar cores de roupas“. Misto de texturas e padronagens vai mostrar que você é expert no assunto. Ao invés de usar tudo liso de algodão ou outros tecidos básicos, abuse em um casaco mais pesado como uma jaqueta de couro por exemplo ou uma camisa jeans (nas devidas cores para o look monocromático).

O que usar como calçado? Combinando com tudo dentro da combinação de cores, porém para quem tem medo de arriscar vai de neutro mesmo. Já falei dos tênis monocromáticos também e isso pode te ajudar.







É simples! Com prática e sensibilidade você consegue criar produções incríveis. Com o tempo você vai aprendendo.

Dica: tem uma peça de roupa e quer combinar de forma monocromática? Pesquisa na internet: “palette monochromatic + o nome da cor em inglês”. Outra dica é comprar ou ter sempre à vista um círculo monocromático. Tem um aplicativo muito legal que ajuda também que chama: “Collor assist free”.

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Restaurantes na Chapada dos Veadeiros

A energia gasta nos passeios pelas cachoeiras da Chapada dos Veadeiros será facilmente recuperada nos restaurantes da região. Os sabores do interior de Goiás, muitas vezes aliados a menus internacionais bem elaborados, são capazes de agradar a todos os paladares. A variedade é suficiente para o número de turistas e não será preciso repetir restaurantes durante a viagem, apesar de que alguns deles são irresistíveis e será difícil não fazer uma nova visita. 


As refeições na Chapada dos Veadeiros têm características bem distintas entre o almoço e o jantar. O almoço, quase sempre tardio e depois do dia na cachoeira, costuma ter padrão mais simples e com aquele tempero (e volume de comida) de casa de vó. Já o jantar ganha ares charmosos e os restaurantes capricham na iluminação e ambiente aconchegante para receber os turistas que buscam relaxar.


Outra característica muito comum na Chapada dos Veadeiros é o "kit trilha". Passar o dia nas cachoeiras exige energia e os restaurantes locais são atentos a isso. É fácil encontrar, principalmente em São Jorge, estabelecimentos que oferecem o pacote completo de alimentos. O lanche vem na medida certa para suprir as necessidades do turista durante o passeio. Os pacotes variam, mas é comum ter frutas, sanduíches, barra de cereal, biscoitos, suco congelado (para derreter ao longo da trilha e chegar geladinho na cachoeira) e água. Os pacotinhos facilitam um bocado a vida dos viajantes e são bem práticos. Caso não queira adquirir o kit trilha já pronto, nunca deixe de levar alimentos e bebidas para os passeios. Raramente há locais onde comer durante as trilhas e você poderá passar aperto.


Alto Paraíso e São Jorge são os principais polos gastronômicos da Chapada dos Veadeiros. Nas duas cidades, será fácil encontrar restaurantes de excelente qualidade. Já a cidade de Cavalcante tem opções mais simples para refeições, porém não menos saborosas. Nas cachoeiras, não é comum encontrar restaurantes, por isso é sempre bom ter um lanche para emergências. Alguns complexos turísticos, entretanto, oferecem bons restaurantes aliados a lindas cachoeiras. É o caso da Cachoeira dos Cristais, Cachoeira do Paraíso e Cachoeira São Bento, onde há até uma deliciosa cervejaria artesanal.


Onde comer em Alto Paraíso;

Principal base de hospedagem para quem está na Chapada dos Veadeiros, a cidade de Alto Paraíso oferece bom número de restaurantes e será fácil encontrar um cantinho para o café da manhã, almoço e jantar. A maior parte dos restaurantes está localizada nos arredores da Av. Valadão Filho, onde também há grande concentração de lojas. Na região, aproveite a decoração e cardápio regional do Vendinha 1961;


as carnes do La Parrilla e as pizzas do Vila Chamego. Para um ambiente descontraído e com jeito de almoço entre amigos, experimente os risotos e massas do Zu’s Bistrô. Para repor as energias, vá ao Quiri Quiri Gourmet Burger, coma uma das “jantinhas” (espetinho com mandioca, farofa, vinagrete e feijão tropeiro) na calçada ou experimente o almoço self-service do Tapindaré Restaurante. Se a pedida for por pratos vegetarianos, tente o Alquimia e o Cravo & Canela.


Onde comer em São Jorge;

A Vila de São Jorge, apesar de não ser a maior base da Chapada dos Veadeiros, é a que oferece os restaurantes mais interessantes e charmosos. Não faltam bons cardápios aliados a produtos naturais e receitas que muitas vezes prezam por ingredientes regionais. E o ambiente costuma ser bastante acolhedor, com direito a luz de velas, fogueiras e muitos pufes para relaxar. Os restaurantes estão concentrados no centro da vila, que é bem pequena. Será fácil caminhar por todos eles e escolher um para experimentar.


Para o almoço em São Jorge, o lugar mais tradicional e movimentado é o Restaurante da Nenzinha. Há vinte anos ela serve comida de qualidade no quintal de casa, que cresceu um bocado desde o começo. Lá é certeza de bom preço, simpatia e muito sabor. Padrão comida e aconchego de casa de vó. Outra boa pedida é o restaurante Casa das Flores, com boas porções para quem chegou quase morto da trilha. Se a ideia for apenas petiscar, aproveite o movimentado Bar do Pelé e o Luar com Pimenta, que tem um cardápio bem completo.


No jantar, comece pelo lindíssimo ambiente da Santo Cerrado Risoteria e Café. Escolha as mesas próximas à fogueira ou ao deck de madeira do segundo andar, onde a música é sempre de qualidade. Os pratos são tão bons quanto o restaurante é lindo. Se quiser uma boa pizza, vá à Pizzaria Lua de São Jorge. E se o desejo for por um suculento corte de carne ou um bom hambúrguer, recorra ao Rústico Premium Grill. A tradição da “jantinha" também está presente em São Jorge, e uma excelente opção para comer o PF de churrasquinho é a Lanchonete Seriema, escondida em uma rua longe do agito, mas deliciosa!


Há poucas opções para refeição entre as cachoeiras próximas de São Jorge e quase sempre elas se limitam a lanchonetes. Uma delas, entretanto, merece atenção. Na entrada para o Vale da Lua, há um delicioso e memorável pastel. Não deixe de experimentar! E como as cachoeiras de São Jorge não oferecem opções para alimentação, o melhor é garantir o lanche para a trilha. Na cidade, há diversas lanchonetes que oferecem café da manhã e também o kit trilha. É prático e a energia é na medida certa.


Onde comer em Cavalcante

A cidade de Cavalcante é a que oferece opções mais simples entre os restaurantes da Chapada dos Veadeiros. Alguns deles, entretanto, conquistam os turistas pelo sabor dos pratos regionais oferecidos. Para um cardápio mais elaborado e receitas inusitadas, sem perder o toque regional, experimente o Canela de Ema. Se a procura for por tempero caseiro e boas porções, vá ao Flor do Cerrado. Quem quiser investir na comida acompanhada de cervejas especiais pode conferir a Cervejaria Aracê. O Empório da Chapada agrada com hambúrgueres repletos de sabor e jeitinho de feitos em casa, já o Encanto da Pizza oferece massa fininha em deliciosas pizzas. Para repor as gordurinhas, coma o pastel da Dona Preta.


Não há opções para refeições nas cachoeiras de Cavalcante. Algumas delas, porém, têm acesso por povoados kalungas, onde há pequenos restaurantes caseiros que atendem aos turistas. Não será preciso voltar até o centro da cidade para garantir uma refeição. Em passeios como a Cachoeira Santa Bárbara, Cachoeira Capivara e Cachoeira Candaru, os turistas são convidados pelos guias a fazerem reservas para refeições após o passeio. A prática é importante para garantir que haja comida para todos. Vale dizer que a Cachoeira do Poço Encantado, no caminho para Alto Paraíso, oferece boa infraestrutura com lanchonete e restaurante.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

Hotel da Chapada dos Veadeiros tem quartos em naves espaciais

Em terras goianas consideradas o chacra cardíaco do planeta e com energia suficiente para atrair alienígenas, nada mais normal que até quartos de hotel fiquem dentro de… espaçonaves.


Localizado em Alto Paraíso, cidade da Chapada dos Veadeiros na mesma latitude de Machu Picchu, o hotel Espaço Naves LunaZen abriga construções arredondadas feitas com ferro e cimento que, segundo os próprios proprietários, são resistentes “a qualquer fenômeno da natureza como ventos, tornados e chuvas”.


E a pegada extraterrestre e mística do local não para por aí, nesse inusitado hotel que não passa despercebido até por quem está do lado de fora, em uma rua tranquila desse destino considerado a principal porta de entrada para a Chapada dos Veadeiros.


Sua estrutura proporciona circulação de energia pelas 3 janelas de cada unidade, onde são colocados pratos no teto da nave para que a energia solar entre e aqueça quem estiver dentro.


Já os quartos são batizados também com nomes sugestivos como Nave Mãe, Discovery, Galáctica e Enterprise, e estão equipados com banheiro, frigobar, TV de plasma e uma pequena área social (onde dá até para bater um papo, no caso de alguma visita interplanetária).


Conhecido como um cobiçado “centro de energia cósmica” e “Capital do 3º Milênio”, o município de Alto Paraíso, a 245 km de Brasília, começou a atrair viajantes alternativos, nos anos 60, e esotéricos, nos 80, devido à grande concentração de cristais de quartzo encontrados na região. “Os hippies praticamente projetaram a cidade”, defende a empresária Magda Pfrimer Müller, proprietária da Fazenda São Bento, onde ficam as cachoeiras Almécegas I e II. Desde então, místicos, terapeutas holísticos, pesquisadores e viajantes desembarcam nesse destino que vem recepcionando forasteiros com experiências que vão além de cachoeiras isoladas e trilhas exigentes.


Terapias com florais, massagens com pedras quentes, aromaterapia e Reiki são alguns dos serviços, facilmente, encontrados por ali. Sem falar nas construções locais em forma de iglu, gota ou pirâmides; e nos curiosos nomes de estabelecimentos comerciais que funcionam na avenida principal de Alto Paraíso, como Os Malukos, Madre Terra, Taj Mahal e o curioso camping Consertamos Disco Voador, uma área de 550 m² que conta com “iluminação zen” (!?). Dizem por ali que se os extraterrestres não vêm até nós, dá para gente ir até eles. E bem acomodado em naves espaciais em forma de quarto de hotel, camping e outros estabelecimentos.


Endereço: Rua 2, Quadra 1, Lote 8- Estância Paraíso, Alto Paraíso de Goiás - GO, 73770-000
Telefone: (62) 3446-1085

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros

Como prometido em Dezembro do ano passado, aqui estou eu. O post de hoje será sobre um local paradisíaco que eu conheci nesse tempo que fiquei afastado do blog; se trata do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros, uma unidade de conservação brasileira de proteção integral à natureza localizada na região centro-oeste do estado de Goiás, na Chapada dos Veadeiros. 


Em dezembro de 2001 o parque foi incluído na lista do Patrimônio Mundial pela UNESCO. A Chapada dos Veadeiros é um importante centro dispersor de drenagem, com a maioria de seus rios escavando vales em forma de "V". O principal é o rio Preto, um afluente do rio Tocantins, que forma várias cachoeiras ao longo de seu curso, com destaque para dois saltos respectivamente 80 e 120 m de altura.


O acesso ao parque se dá pelo Povoado de São Jorge, que está ligado à cidade de Alto Paraíso de Goiás por uma estrada asfaltada de 36 km. Guias para o acompanhamento dos visitantes do parque podem ser encontrados no povoado próximo à entrada do parque, no Centro de Atendimento ao Turista (CAT) de São Jorge. 


A visitação do parque, acompanhada por guias é, contudo, opcional. Entre as principais atrações do parque estão os dois saltos do rio Preto, com respectivamente 80 e 120 m de altura, os canyons do rio Preto, quedas d'agua em paredes rochosas de um estreitamento do rio, e as cachoeiras carioquinhas, uma formação de piscinas naturais ideal para banhos leves e hidromassagem.


Além das trilhas do próprio parque, há diversas atrações turísticas em terras particulares, no entorno do parque. Elas incluem:

- Vale da Lua: formações rochosas cinzentas esculpidas pelo rio São Miguel, que possuem um aspecto "lunar".



- Cachoeiras Almécegas: Duas cachoeiras, uma de 50 e outra de 15 metros, em que a água escorre por rochas íngremes. Próximo ao centro de Alto Paraíso.



- Raizama: conjunto de cachoeiras ideal para a prática de canyoning e rapel.


- Águas termais: piscinas naturais com água a cerca 38 graus de temperatura.


- Cachoeira do Abismo e Mirante da Janela: cachoeira com vista para um vale e um mirante com formação rochosa que se assemelha a uma janela, com vista para os Saltos I e II.


A Chapada dos Veadeiros, especialmente na região de Alto Paraíso possui um forte turismo místico. Dentre os motivos, pode-se citar as exuberantes paisagens, a abundância de aflorações de quartzo (o que faz a chapada ser vista como um centro de concentração de energia) e o fato de ela ser cortada pelo Paralelo 14 S, o mesmo que passa por Machu Picchu.

Vejam mais fotos da viagem:





Fiquem ligados que na quarta-feira eu irei postar uma dica de um super hotel para você que se interessou em conhecer pessoalmente a Chapada dos Veadeiros.